Energia Renovável: Nossa Oportunidade de Acabar com a Crise da Energia de Combustíveis Fósseis





November 2020
Written by: James Nielsen



85% da energia do mundo vem de fontes não renováveis, que incluem petróleo cru, gás natural e carvão. Os custos ambientais da extração insustentável desses recursos já não compensam os benefícios, particularmente para o processo de fraturamento. A técnica de fraturamento hidráulico lança grandes quantidades de produtos químicos, água e areia nas formações rochosas subterrâneas "firmes" ou impermeáveis. A rocha racha, permitindo que gás natural ou óleo, antes inacessíveis, fluam para a superfície e sejam extraídos para uso. Embora eficaz, o fraturamento é severamente destrutivo, levando à contaminação de lençóis freáticos, poluição por metano que contribui para a mudança climática, poluição do ar, exposição a produtos químicos tóxicos, descarte inadequado de resíduos, terremotos induzidos pelo fraturamento e degradação de infraestrutura. Mas não é só a extração dessas fontes de energia que é prejudicial, seus transportes podem ter impactos ambientais ainda maiores. Por exemplo, o oleoduto Keystone XL atualmente em construção, que vai de Alberta, Canadá, até Nebraska, EUA, transportará óleo de areias betuminosas, que é mais espesso e corrosivo do que o petróleo cru tradicional. Esse óleo de areias betuminosas aumenta a probabilidade de vazamentos nos oleodutos — na verdade, o sistema antigo do oleoduto Keystone vazou 12 vezes no primeiro ano de operação. Após derramamentos, pessoas e animais selvagens que entram em contato com o óleo serão expostos a produtos químicos tóxicos, e áreas ambientalmente sensíveis como o Aquífero de Ogallala (no meio-oeste dos EUA) poderiam ser contaminadas, o que resultaria em milhões de pessoas sem água potável. Além disso, o óleo de areias betuminosas é altamente volátil, o que significa que qualquer óleo derramado representa um grande risco de explosão.





O vazamento de um oleoduto Keystone em 2017 derramou 9.700 barris de petróleo em terreno agrícola de Dakota do Sul.


Contudo, mesmo se tentarmos ignorar as propriedades destrutivas dessas fontes de energia não renováveis, somos confrontados com o fato extremamente aparente de que sua quantidade é finita. De acordo com a Aliança do Milênio para a Humanidade e a Biosfera da Universidade de Stanford, o petróleo se esgotará até 2052. O gás se esgotará até 2060. O carvão se esgotará até 2090. Nenhuma dessas fontes de energia deverá durar até o final do século 21. Mas a Geração Z de hoje provavelmente viverá além de 2100. Temos uma população em rápido crescimento com necessidades crescentes de energia. E atualmente, o contribuinte número 1 para os gases de efeito estufa é o setor de energia. Em 2017, 32,5 bilhões de toneladas métricas de dióxido de carbono relacionado à energia foram emitidas na atmosfera em todo o mundo. Em 1900, apenas 5 bilhões de toneladas métricas foram liberadas. Esse rápido aumento é particularmente prejudicial porque o dióxido de carbono é o gás de efeito estufa mais importante na determinação da temperatura da Terra. Com um excesso de gases de efeito estufa, a luz solar refletida da superfície da terra se torna mais presa na atmosfera, aquecendo a terra a níveis prejudiciais. O aumento de 0,8º Celsius na temperatura média global (desde 1880) tem causado a perda do gelo marinho do Ártico (a uma taxa de 13% por década), aumento do nível do mar que causa inundação e destruição de cidades costeiras, secas severas, ondas de calor e perturbações do habitat (veja a página da Nasa sobre os efeitos da mudança climática para mais detalhes).





Os níveis médios de dióxido de carbono na atmosfera aumentaram cerca de 50% nos últimos séculos (~1850 - presente).

Anteriormente, permaneceram relativamente constantes por mais de 800.000 anos. Está claramente na hora de nos livrarmos das tecnologias de energia não renovável que inventamos há quase 2 séculos. Com as possibilidades de energia renovável em abundância, devemos agora implementar a tecnologia que temos em maior escala. Apenas 15% do consumo mundial de energia e 28% da geração global de energia vieram de fontes renováveis em 2018. Mas com acesso à energia solar, eólica, hidrelétrica, maremotriz, geotérmica e de biomassa, todas elas autoabastecidas, podemos mover o mundo para o uso de energia 100% sustentável. Combinando essas tecnologias, como projetar uma rede elétrica que utiliza energia solar e eólica durante o dia, bem como maremotriz e eólica durante a noite, podemos criar energia que se torna cada vez mais acessível (à medida que o fornecimento de combustíveis fósseis diminui) e prática. E não apenas podemos eletrificar grandes áreas com redes de energia renovável, mas podemos fornecer energia em pequena escala de forma eficaz, como a solar em telhados, o que permite até mesmo uma maior autossuficiência. Um forte exemplo da implementação da tecnologia de energia sustentável está na Islândia, onde a energia renovável fornece quase 100% da geração de eletricidade: cerca de 73% da energia hidrelétrica e 27% da geotérmica. Inclusive 85% das casas são aquecidas por energia geotérmica. (Ambas as formas de energia geotérmica funcionam com o mesmo princípio: o solo absorve quase 50% do calor do sol durante o dia, e essa energia pode ser aproveitada para eletricidade ou aquecimento doméstico). A transição da Islândia de combustíveis fósseis para renováveis ​​fornece um modelo que podemos seguir: estabelecer coesão e colaboração entre governo e municípios, capacitar os líderes locais e incentivar o engajamento público, desenvolver uma estrutura regulatória e legal favorável, engajar-se em planejamento de longo prazo para a energia renovável e mostrar sucesso em cada etapa do caminho.



https://www.nrdc.org/stories/fracking-101#whatis

https://serc.carleton.edu/NAGTWorkshops/health/case_studies/hydrofracking_w.html

https://www.nrdc.org/stories/what-keystone-pipeline

https://www.smithsonianmag.com/smart-news/keystone-pipeline-leak-was-twice-big-previously-thought-180968722/

https://mahb.stanford.edu/library-item/fossil-fuels-run/

https://www.usgs.gov/faqs/how-much-carbon-dioxide-does-united-states-and-world-emit-each-year-energy-sources?qt-news_science_products=0#qt-news_science_products

https://www.iea.org/data-and-statistics/charts/global-energy-related-co2-emissions-1900-2020

https://earthobservatory.nasa.gov/features/CarbonCycle/page5.php, https://www.worldwildlife.org/pages/six-ways-loss-of-arctic-ice-impacts-everyone# https://www.climate.gov/news-features/understanding-climate/climate-change-atmospheric-carbon-dioxide https://www.government.is/topics/business-and-industry/energy/ https://www.theneweconomy.com/energy/iceland-champions-the-power-of-geothermal-energy-for-the-environment-and-businesses

A Planet Rehab continua a enfrentar essa crise energética, esforçando-se para educar as pessoas ao redor do mundo sobre os perigos dos combustíveis fósseis (como o processo de fraturamento), desencorajando projetos como o oleoduto Keystone XL, e se engajando no ativismo ambiental: escrever cartas, assinar petições, participar de comícios e fazer parcerias com organizações ambientais para aumentar a conscientização sobre o assunto. Mas não podemos fazer isso sozinhos. Precisamos que você se junte a essas lutas e dê os passos para viver de forma mais sustentável. Um primeiro passo importante para utilizar 100% de energia renovável é reduzir nosso atual consumo de energia. Apenas desligando as luzes (por uma hora) em uma sala com 5 lâmpadas de 100 watts, podemos economizar 0,5kWh de energia, o suficiente para carregar um iPhone 11 mais de 33 vezes! Um segundo passo seria incorporar gradualmente a energia renovável em nossa vida diária, como a compra de um sistema solar ou uma turbina eólica para uma casa, ou uma ideia em menor escala, como a compra de um carregador solar para seu telefone celular. (Para descobrir mais maneiras de economizar energia, visite a página da energy.gov sobre como economizar eletricidade e combustível). Ao focar em nossos investimentos no desenvolvimento de energia renovável, vamos privar a indústria de combustíveis fósseis de lucro e derrubá-la.